Sua língua na Internet

 
Índice

01.06 Classificação das Consoantes

As consoantes da língua portuguesa, em número de dezenove, são tradicionalmente classificadas em função de quatro critérios de base essencialmente articulatória:

a) quanto ao modo de articulação:

momentâneas - oclusivas
contínuas constritivas
laterais
vibrantes

b) quanto ao ponto de articulação:

bilabiais
labiodentais
linguodentais
alveolares
palatais
velares

c) quanto ao papel das cordas vocais:

surdas
sonoras

d) quanto ao papel das cavidades bucal e nasal:

orais
nasais

O modo de articulação

A articulação das consoantes não se faz, como a das vogais, com a passagem livre do ar através das cavidades supralaríngeas. Em sua realização, a corrente expiratória encontra sempre, em alguma parte do conduto vocal, ou um obstáculo total, que a interrompe momentaneamente, ou um obstáculo parcial, que a comprime. No primeiro caso, as consoantes se dizem momentâneas (oclusivas); no segundo, contínuas (constritivas, laterais, vibrantes).

1. oclusivas, caracterizadas pela interrupção momentânea da corrente de ar pelo contato dos órgãos articuladores.
/p/ (pato) /t/ (tato) /k/ (cato)
/b/ (bato) /d/ (dato) /g/ (gato)
2. constritivas, caracterizadas pela passagem do ar através de uma estreita fenda formada pelos órgãos articuladores, o que produz um ruído comparável ao de uma fricção:
/f/ (faca) /s/ (selo) /x/ (chato)
/v/ (vaca) /z/ (zelo) /j/ (jato)
3. laterais, caracterizadas pela passagem da corrente expiratória pelos dois lados da cavidade bucal, em virtude do obstáculo formado no centro desta pelo encontro da língua com os alvéolos dos dentes ou com o palato:
/l/ (fila) /lh/ (filha)
4. vibrantes, caracterizadas pelo movimento de batidas rápidas de um órgão elástico (o ápice da língua ou a úvula), que provoca uma ou várias brevíssimas interrupções da passagem da corrente expiratória:

No primeiro caso tem-se a vibrante simples e no segundo a vibrante múltipla.

/r/ (caro) /rr/ (carro)

O ponto de articulação

O obstáculo (total ou parcial) necessário à articulação das consoantes pode produzir-se em diversos pontos das cavidades bucal e labial. Daí o conceito de ponto de articulação, segundo o qual as consoantes se classificam em:

1. bilabiais, formadas pelo contato dos lábios:
/p/ (pato) /b/ (bato) /m/ (mato)
2. labiodentais, formadas pela constrição do ar entre o lábio inferior e os dentes incisivos superiores:
/f/ (fala) /v/ (vala)
3. linguodentais, formadas pelo contato da ponta da língua com a face interna dos dentes superiores:
/t/ (tato) /d/ (dato) /n/ (nato)
4. alveolares, formadas pela aproximação ou contato da língua com os alvéolos superiores dos dentes:
/s/ (selo) /z/ (zelo) /l/ (cala) /r/ (cara)
5. palatais, formadas pela aproximação ou contato do dorso da língua com o palato duro:
/x/ (chá) /j/ (já) /lh/ (pilha) /nh/ (pinha)
6. velares, formadas pelo contato da parte posterior da língua com o palato mole (véu palatino):
/k/ (calo) /g/ (galo)
7. uvular, formada pelo contato da úvula com o dorso da língua:
/rr/ (ralo) (carro)

O papel das cordas vocais

Enquanto as vogais são sempre sonoras, as consoantes podem ser ou não produzidas com vibração das cordas vocais.

São surdas (produzidas sem vibração das cordas vocais) as consoantes:

/p/ /t/ /k/ /f/ /s/ /x/

As demais são sonoras (produzidas com a vibração das cordas vocais):

/b/ /d/ /g/ /v/ /z/ /j/ /l/
/lh/ /r/ /rr/ /m/ /n/ /nh/

O papel das cavidades bucal e nasal

Como as vogais, as consoantes podem ser orais ou nasais. Por outras palavras: em sua emissão, a corrente expiratória pode passar apenas pela cavidade bucal, ou também ressoar na cavidade nasal, caso encontre abaixado o véu palatino.

São nasais as consoantes:

/m/ (amo) /n/ (ano) /nh/ (anho)

As outras são orais.

Quadro das consoantes

Resumindo, podemos dizer que o conjunto das consoantes da língua portuguesa é constituído por dezenove fonemas, cuja classificação se expõe esquematicamente no quadro a seguir.

Representação gráfica das consoantes

consoantes que têm uma só forma gráfica. É o caso das seguintes:

Consoante Pronúncia Escrita Exemplificação
/b/ b bota cabo
/p/ p povo capa
/d/ d dado cada
/t/ t teto atum
/v/ v véu fava
/f/ f faca mofo
/l/ l leme iguala
/lh/ lhê lh lhe ilha
/m/ m medo cama
/n/ n nada cana
/nh/ nhê nh nhambu unha
/r/ rê (simples) r caro

Outras, no entanto, podem ser grafadas de diferentes formas. Assim:

>
Consoante Pronúncia Escrita Exemplificação
/rr/ rrê (múltiplo) r rosa tenra
rr erro carro
z zero vazio
/z/ s casa trânsito
x exato exilar
s saco valsa
ss massa ssego
ç maço calça
c cego dancei
/s/ sc crescer descida
creo dea
x trouxe sintaxe
xc excesso exceção
/j/ j jeito haja
g gesso agir
/x/ x xadrez lixo
ch chuva rocha
/g/ guê g gado agudo
gu guerra águia
/k/ quê c cobra vaca
qu queda aquilo

Além dos valores indicados (xê, sê e zê), a letra x pode representar a sequência de duas consoantes /ks/ em palavras como táxi, axila, fixo e outras.





Livros para o seu dia a dia








© Lexikon Editora Digital